top of page
  • Foto do escritorEntreLinhas

O poder do Natal entre nós

Diálogos de Esperança conversa sobre o impacto do Evangelho na vida e na missão


A narrativa do Natal nos ensina (e muito) sobre como viver o Evangelho hoje. Foi o que ouvimos na última live do Diálogos de Esperança realizada nessa terça-feira, dia 05, com o tema “Natal: a canção do Evangelho encarnado”. Aline Aquilo e José Brito (o “Zé da Água”) contaram suas experiências servindo a Deus no desafio de viver uma fé encarnada em contextos difíceis.

Aline trabalha com mulheres empobrecidas no bairro de Jardim Gramacho, em Duque de Caxias (RJ), disponibilizando microcréditos e ajudando-as a multiplicarem suas rendas por meio de uma “economia do reino”. Já o Zé trabalha há 11 anos em uma cidadezinha do semiárido nordestino chamada Betânia do Piauí (PI), onde água é artigo de luxo. Ambos compartilharam suas experiências e lições de como Cristo se fez presente por meio deles e das pessoas que encontraram em seus respectivos lugares.

Para Aline, o mais surpreendente na mensagem do Natal é a revelação do amor de Cristo, que excede todo o entendimento. Ao viver esse Evangelho, ela – que é economista - encontrou Cristo na vida das mulheres pobres, ao ajudá-las a conseguir renda e compartilhar do Evangelho com outras. “É assim que eu vejo o Evangelho encarnado de Jesus: servindo às pessoas e levando vida plena a elas”.

Para Zé da Água, estar com o próximo é uma evidência da encarnação do Evangelho. “Um dia um senhor nordestino chegou perto de mim e disse que éramos diferentes dos outros. Eu então perguntei o porquê. Ele disse que era porque nós chegamos, e não fomos embora. Todos iam até lá, mas acabavam voltando para suas cidades. Foi quando eu percebi que um dos maiores trabalhos que poderíamos fazer era ficar no meio do povo. Até hoje, depois de 11 anos, acredito que esse seja o maior impacto: morar no meio deles”.

Sobre o desafio da igreja em encarnar o Evangelho hoje, tanto o Zé quanto a Aline concordam que a simplicidade é um dos elementos fundamentais, porque move a igreja para o serviço ao próximo, e não para sua própria manutenção. “Nesse mundo somos impulsionados a cada vez mais mostrar coisas grandes e deslumbrantes, e o simples perde a coerência. Quando isso acontece, a gente deixa de atender quem mais precisa. Perdemos o senso de serviço voluntário”, ressalta Zé.

Amor, serviço, permanência, compaixão... todas essas palavras fazem parte da vivência do Evangelho encarnado de Cristo no mundo hoje. Essa é a mensagem do Natal para corações órfãos e famintos da presença de Deus e dos valores concretos do reino de Deus.

“Emanuel” é Deus conosco e habitou entre nós. “Também devemos habitar na vida dos outros”, lembrou Claudia Moreira, uma das âncoras da live.

“No Natal, a gente sempre agradece por Jesus ter nascido em Belém, mas nem sempre se lembra na prece que ele nasce na gente também”.

(Wolô)


Essa foi a última live do Diálogos de Esperança em 2023. Ao todo, foram 24 entrevistas nesse ano.


--

Playlist do Diálogos de Esperança Assista a todas as lives já realizadas aqui.

Comments


bottom of page