top of page
  • Foto do escritorEntreLinhas

Preocupados com o céu ou com a terra?

Trabalhar em rede pela justiça social faz parte da missão da Igreja no mundo hoje


Em um contexto eclesiástico polarizado e dividido, que ingredientes são necessários para ações sociais cooperativas que permaneçam por um longo tempo? A partir da história de 20 anos da RENAS (Rede Evangélica Nacional de Ação Social), o pastor, empreendedor social e atual coordenador da rede Tércio Sá Freire listou os seguintes: acolhimento pessoal e organizacional, valorização de processos e fortalecimento de vínculos perenes. Ele participou da live “O Amor em Movimento: 20 anos da RENAS”, realizada no dia 01 de agosto pelo projeto Diálogos de Esperança.

Além de Tércio, também esteve na conversa Tânia Medeiros Wutzki, que coordena os projetos sociais da Convenção das Igrejas Batistas Independentes e integra a coordenação da RENAS e da Aliança Evangélica. Para ela, a RENAS é “uma rede de relacionamentos e uma reinvenção da sociedade para administrar problemas complexos. Os problemas do mundo são complexos (pobreza, injustiça social) e demandam uma sinergia de ações e de organizações”.

Abundância de caminhos

Quando o trabalho em rede acontece, surgem novos caminhos com intersecções abençoadoras. No caso da RENAS, organizações sociais do Norte, Nordeste e Centro-oeste do Brasil se uniram com outras do Sudeste e Sul e há anos trabalham juntas em prol do Evangelho e do Reino de justiça, paz e alegria. Outro exemplo foi quando a RENAS conseguiu mobilizar milhares de organizações, igrejas e pessoas na luta contra a exploração sexual de crianças e adolescentes de 2011 a 2014 - ano de realização da Copa do Mundo de Futebol no Brasil. E ainda tem o Mutirão de Oração Pelas Crianças e Adolescentes realizado anualmente há mais de 20 anos em todo o país, com a liderança da Rede Mãos Dadas – uma das parceiras da RENAS. “Essas coisas são possíveis porque estamos em rede”, diz Tânia.

Preocupados com o céu ou com a terra?

“Tempos atrás muitas igrejas estavam apenas preocupadas com o céu, e não com os problemas na terra. A nossa hinologia da época só falava sobre o céu, mas eu queria ajudar a resolver os problemas na terra. Quando eu cheguei na RENAS, eu me transbordei e

passei a ser pleno, vivendo o reino de Deus todo para o homem todo, aprendendo, ensinando e participando desse movimento que abençoa muita gente”, relembra Tércio.

“Somos acolhidos nesse desejo de servir, de uma igreja que serve, de seguidores de Jesus que servem e veem a ação social como parte da missão de Deus no mundo, e que não ficam à parte do sofrimento humano. As ações sociais que as organizações cristãs desenvolvem são respostas ao amor de Deus em nós, mas também são respostas de Deus às demandas e ao sofrimento do mundo. A RENAS nos faz transbordar porque nos dá esse chão bíblico-teológico para podermos relacionar tudo isso e legitimar o que a Bíblia nos orienta a fazer, e a gente quer fazer”, afirma Tânia. Para celebrar as duas décadas de existência, a RENAS irá realizar o seu 14˚ Encontro Nacional nos dias 24 e 26 de agosto, em São Paulo (SP). A rede reúne atualmente 27 organizações filiadas, 12 redes regionais e 3 alianças e parcerias estratégicas.

*

Playlist do Diálogos de Esperança Assista a todas as lives já realizadas aqui.

Comments


bottom of page